Notícias

Governo recebe consórcio chino-brasileiro para tratar da instalação de uma indústria de armazenamento de energia

08/07/2019 - Fábia Lázaro/Governo do Estado

O secretário da Industria, Comércio e Serviços, Ridoval Chiareloto, recebeu em seu gabinete, sócios de um consórcio chino-brasileiro que pretendem instalar no Tocantins uma indústria de equipamentos de alta tecnologia para armazenamento de energia. A reunião que contou com a presença do vice-governador, Wanderlei Barbosa, foi realizada na sede da pasta, na manhã desta quinta-feira,04.

Esta é a segunda visita dos investidores ao Estado para tratar da instalação da indústria que será a primeira da América Latina a trazer equipamentos de alta tecnologia da China para fazer o armazenamento de energia. Além dos incentivos fiscais que podem ser oferecidos pelo Governo, também foi discutido a escolha da área que deverá receber o empreendimento.

Segundo um dos diretores do consórcio,   Eliéser Souza, as negociações para trazer a indústria para o Estado estão avançando .”Escolhemos o Tocantins porque é uma das regiões que mais nos interessa por contar com grandes oportunidades futuras no País, aliado à sua localização e às condições de mobilidade logística “, destacou o diretor.

O secretário da Indústria e Comércio ofereceu total apoio aos investidores, destacando que o Governo do Estado quer realizar a industrialização porque é um meio de ampliar a arrecadação do Estado para promover o desenvolvimento econômico e social da região.

“A classe política está imbuída em trazer o desenvolvimento para o Tocantins e nós estamos aqui cumprindo o nosso papel que é oferecer as condições para isto acontecer”, afirmou.

As negociações continuam e novas reuniões devem ser realizadas com os investidores. O vice-governador destacou a importância para o Governo do Estado de receber os investidores.

 “Vamos oferecer todas as condições possíveis para permitir a instalação  da indústria aqui no Tocantins que  deverá gerar centenas de empregos. Eu  não tenho dúvida que os empresários fizeram a  melhor escolha já que somos favorecidos por diversas condições, temos mobilidade, com aeroporto e ferrovia,  além de uma localização estratégica e privilegiada, afirmou. “